Assinatura RSS

Arquivo da categoria: DJ

PE Nova Música Apresenta: Caravana do Delírio + Dj Bra

Publicado em

Tá achando que domingo que vem você ficará de bobeira em casa? De jeito nenhum! Pelo menos não há motivos pra isso, já que tem evento do PE Nova Música marcado para você começar bem a próxima semana. A Caravana do Delírio e o Dj Bra são as atrações musicais do evento que começa às 15h, às margens do Rio Capibaribe.

 

 

Quando? 6 de novembro, às 15h.

Quanto? $10.

Onde? Capibar.

Para confirmar sua presença, clique aqui.

Eu fui! – PE Nova Música Apresenta: A Nave, Bande Dessinée, Mamelungos e DJ 440

Publicado em

Inauguramos agora mais uma seção do blog, chama-se “Eu fui!”. Nela, os componentes do blog tentarão transpor um pouco da sua experiência nos eventos do PE Nova Música para os leitores. Hoje, eu (Júlia) terei a alegria de escrever um pouco sobre o evento ocorrido na última sexta-feira, dia 28 de outubro, no Mercado Eufrásio Barbosa, em Olinda.

Essa edição do projeto foi sobre sentir a música, apreciá-la e brincar com sons. Foram quatro atrações com composições que chamam atenção pela diversidade de influências em seus ritmos, letras e idiomas.

DJ 440 garantiu seu setlist brasileiríssimo e também flertou com o ritmo latino da cumbia, foi diversão certa antes e durante as apresentações das bandas. Sua discotecagem era feita diretamente de um carro nada comum, um modelo exclusivo da Redbull que chamava atenção pela aparelhagem de dj e o monitor que reproduzia imagens de campeonatos de esportes e festas.

A banda A Nave foi a primeira da noite e foi a primeira apresentação em Pernambuco, eles tocaram as cinco músicas do EP lançado este ano e incluíram mais outras ao repertório, com direito a participação especial de Ylana Queiroga. O encerramento do show foi com o verso “vocês são Sonhos de Valsa e nós somos Serenatas de Amor” e o vocalista e pianista Lula mandando (o que eu acredito que fossem) vibrações positivas para o público presente.

A Bande Dessiné foi a segunda a se apresentar, o show foi o lançamento do CD “Sinée Qua Non”, mas além do conteúdo do álbum multilinguístico, a banda ainda executou sua própria versão da música “Cha Cha Cha du Loup”, de Serge Gainsbourg. Simplesmente não dava pra ficar parado!

Mamelungos subiu ao palco com o conteúdo do CD “De Recife” e, como prometido, a nova canção “Varanda” foi uma das músicas incluídas ao repertório, e o público aprovou. Harmonia de instrumentos e um belo entrosamento entre os integrantes são aspectos marcantes da apresentação da banda.

Eu adorei os shows! Se você também esteve por lá, não deixe de comentar o que achou. Mas, se ainda não teve a chance de ir a um evento do PE Nova Música, fique ligado no blog, logo traremos novidades!

PE Nova Música Entrevista – DJ 440

Publicado em

Juniani Marzani é pesquisador musical, produtor cultural e mais conhecido como DJ 440. Como já comentamos aqui no blog, ele será uma das atrações da 3ª edição do PE Nova Música Apresenta nesta sexta-feira, dia 28, no Mercado Eufrásio Barbosa. Juniani é uma das figuras mais atuantes no cenário pernambucano, em seu currículo é possível encontrar de participação em prévias de carnaval à trilhas musicais de eventos de moda, além disso, sua parceria com a Red Bull lhe rendeu duas coletâneas, “Brasil do Futuro” (2009) e “Camisa 10” (2010). Hoje, dia 25 de outubro, o DJ 440 se apresenta na Fábrica Bar, em Olinda, na reestreia do projeto Terça do Vinil (aqui você encontra mais detalhes).

O Brasil não é respeitado em diversos aspectos pelo mundo, mas na música não conheço um gringo que não respeite o som da gente. Dos ignorantes aos mais graduados em música.

O que te motivou a atuar como dj e produtor musical?

O amor pela música desde menino foi o principal agente influenciador.  Cresci rodeado de bons LPs e fitas cassete… Além disso, acho que a pessoa é para o que nasce, eu tinha que trabalhar com isso, não teve jeito. Já trabalhei com um monte de coisa na vida, mas nada me dá mais prazer que a música.

Quais as características essenciais de uma música que faz parte da sua mixagem?

A música brasileira é a base do meu trabalho. O Brasil não conhece a música do Brasil e, como nas minhas pesquisas tive o prazer de conhecer um pouco mais a fundo nossa música, sou tão apaixonado por ela. Creio que as pessoas percebem essa paixão e a qualidade de uma música que é do seu país, mas não fazem ideia que existia e curtem. Eu também gosto muito de música latina, a cumbia é um estilo que eu adoro e acho que é um ritmo que tem um pouco do calor do Brasil. É uma safadeza massa!

Na sua opinião, o que diferencia a música brasileira das demais?

A simplicidade e a criatividade. O Brasil não é respeitado em diversos aspectos pelo mundo, mas na música não conheço um gringo que não respeite o som da gente. Dos ignorantes aos mais graduados em música.

Já pensou quais músicas ou artistas estarão presentes no seu setlist dia 28 de outubro? 

Não tenho idéia. Eu discoteco tudo na hora, não monto repertórios “infalíveis” em casa antes…. Cada festa é uma festa! Cada festa é algo único. Nunca mais eu fazer o mesmo set da noite passada… Mas um pouco de samba, de samba-rock e cumbia nunca falta nos meus sets.

Qual a importância do crescimento de eventos como esse, promovido pelo PE Nova Música, para o cenário da música autoral em Pernambuco?

Iniciativas como o PE Nova Música são louvaveis. Esse negócio da rapaziada correr atrás e fazer as produções sem grandes patrocínios e em uma cidade de público um pouco difícil de ir, pagar o ingresso, é bem legal. Espero que ocorram várias e várias edições!

PE NOVA MÚSICA APRESENTA – 3ª EDIÇÃO

Publicado em

Está confirmado o mais novo evento do Projeto Pernambuco Nova Música! O som fica por conta das bandas Mamelungos, Bande Dessinée (lançando seu CD “Sinée Qua Non”), A Nave (com show de estreia em Recife) e o DJ 440. A 3ª edição do PE Nova Música Apresenta conta com o apoio da Épura – Gráfica digital e do site Agenda Recife. Fiquem ligados no blog para saber mais detalhes e conhecer um pouco mais sobre as atrações!

Quando? 28 de outubro, às 22h.

Quanto? R$ 15 (antecipado nas TEMAKERIAS GO! de Boa Viagem e Aflitos) e R$ 20 (na bilheteria)

Contatos:

penovamusica@gmail.com

Tel.: (81) 8886.0990 – Pedro / (81) 9225.8041 – Beto / (81) 9446.7229 – Arthur / (81) 8823.0101

Onde? Mercado Eufrásio Barbosa

PE Nova Música Apresenta – DJ 440

Publicado em

DJ 440 em entrevista ao programa Sopa de Auditório, de Roger de Renor

O dia 28 de outubro se aproxima e no blog do PE Nova Música continuamos a postar sobre as atrações que você verá no Mercado Eufrásio Barbosa. O DJ 440 já esteve presente na 2ª edição do Festival PE Nova Música, ocorrida em 13 de maio deste ano, e estará participando do projeto novamente, mais um motivo para você comparecer!

Juniani Marzani, conhecido como DJ 440 (lê-se Quatro Quatro Zero), é mais que DJ, é também pesquisador musical e produtor cultural, em Recife, é responsável pelo “Baile Tangolomango” que ocorre mensalmente no Bar Burburinho, em Olinda, comanda o “Terça do Vinil”, agora na Fábrica Bar, e ainda é cicerone do projeto “Reunião de Bacana”.

Ele atua na profissão desde 1997, é especialista em discotecar utilizando como matéria-prima a música popular brasileira. No entando, não limita-se em termos de ritmos, busca diferentes vertentes e estilos, como o samba e o carimbó, e explora especialmente a diversidade da música pernambucana.

Em agosto desse ano, sua mixagem “Nordeste Independente” foi destaque na publicação inglesa Sounds and Colours, que o elogiou por mostrar a riqueza e peculiaridade dos ritmos do Nordeste do Brasil, misturando como ninguém grandes influências do passado e do presente. “Nordeste Independente” conta com uma infinidade de ritmos e as músicas de artistas como Mestre Salustiano, Mundo Livre S.A. e Quarteto de Olinda. Para conferir todas as mixagens do DJ 440, clique aqui.

Logo abaixo, confira um vídeo de sua discotecagem ao vivo no Estúdio Oi novo Som, gravado em junho de 2010, no Fábrica Estúdio, em Recife.

Site | Facebook | Orkut | Twitter | Myspace

PE Nova Música Entrevista – DJ Bra

Publicado em

Hoje inauguramos a seção de entrevistas do blog PE Nova Música! Nosso primeiro entrevistado atende pelo nome de DJ Bra quando convidado a tocar em eventos como o PE Nova Música Apresenta, ocorrido dia 5 deste mês, em parceria com o INTERCOM 2011 (Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação).

André Braga tem 23 anos, é formado em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Pernambuco, tem sua própria empresa de tecnologia para internet (Atela) e trabalha em projetos  como o AgendaRecife.com, com mais dois sócios. Além de ter sido convidado a participar de um dos eventos deste projeto, ontem mesmo ele marcava presença nos intervalos das bandas Faringes da Paixão e Novos Bossais, no Burburinho. Próxima sexta, dia 23, o DJ Bra estará novamente no Bar Burburinho ao lado de Faringes e Conjunto Maravilha.

Tanto a pesquisa musical quanto o aperfeiçoamento da técnica é uma atividade ininterrupta, uma evolução a cada dia.

Há quanto tempo é DJ?
Acho que desde que eu me entendo por gente eu gosto de levar música pros cantos. Desde ficar apresentando coisas pros amigos a botar música em festas. Não faz muito tempo, comecei a tocar em eventos abertos com mais frequência, então não sei quando alguém “se transforma” em DJ. Tanto a pesquisa musical quanto o aperfeiçoamento da técnica é uma atividade ininterrupta, uma evolução a cada dia.

Por que começou a atuar como DJ?
Como eu sempre fui muito interessado em música, meus amigos me convidavam para tocar, e aí dava certo. Então eu comecei a estudar sobre o assunto, procurar ferramentas, material, a ver qual era o “estado-da-arte” da coisa e fui me aprofundando. Com o tempo, passei a prestar atenção em coisas que normalmente passariam despercebidas mas que são importantes, e aí eu precebi que estava evoluindo a cada hora que dedicava à prática.

Como seleciona a listagem das músicas?
Sempre faço um setlist do zero para cada lugar que vou tocar. Seleciono um pouco mais do que vou ter de tempo, para já ter um buffer extra, mas é muito normal tocar algo que não estava previsto. Depende muito da energia do local e do público.

Quais suas influências musicais?
Complexo… uma professora que tive no conservatório, quando lhe fiz essa pergunta, me disse que por trabalhar com música, tinha de escutar tudo. E então, até o pagodão tinha influência no seu amadurecimento. Se você me perguntar em que música eu “vidrei” por muito tempo, aí eu digo que nasci escutando Chico Buarque, fui adolescente rockeiro, especialmente grunge (Nirvana, Alice in Chains, Stone Temple Pilots…) e nesse tempo comecei a ter contato com coisas como Radiohead, Bjork, Portisehad, Air, The Cure, New Order, Depeche Mode, e também muito Beatles, Pink Floyd. Daí pra frente, a “influência” se tornou um ser vivo, em vez de um ponto no passado.

Quais estilos gosta de tocar?
Gosto muito de rock, indie rock, dance-rock, “soulful-rock”, funk e new wave. E aí misturo com música brasileira. Muitos DJs que têm essa vertente do rock são puritanos quanto a isso, mas eu gosto de mesclar um pouco, muita coisa boa já foi feita no Brasil.

Como foi chamado para participar da última edição do projeto?
Eu já conhecia o pessoal da organização e eles tinham me visto tocar em outros lugares, aí acharam que combinava com a proposta do PE Nova Música, imagino. É algo que eu acho muito legal da proposta deles, por sinal. Eu estava presente quando um dos organizadores conheceu um dos DJs que tocou em outras edições do projeto, e foi em uma festa pequena onde todo mundo estava curtindo o som dele, pouquíssimas pessoas o conheciam até então. É muito importante “desenterrar” o que está sendo produzido aqui perto de nós.

Como avaliou a sua participação e a do público?
Muito positiva. Principalmente porque eu não conhecia o público, já que essa edição era para pessoas de vários lugares do país e eu não tinha ideia do que elas mesmas esperavam. Gente daqui mesmo de Recife e de outros estados vieram falar comigo com feedbacks positivos, foi bem gratificante.

PE Nova Música Convida – Roger de Renor

Publicado em

Roger de Renor, figura marcante da cutura pernambucana

Voltamos a falar sobre o PE Nova Música Convida, evento que aconteceu dia 26 de agosto no bar Burburinho, para comentar a trajetória e trabalho de Roger de Renor, figura emblemática do Movimento Manguebeat.

Roger é pernambucano, filho de mãe potiguar e pai alagoano. Em sua trajetória, o que não falta são histórias, de dono de bar a comunicador, o nome Roger de Renor esta fortemente associado à cena cultural de Pernambuco.

Em entrevista à rádio BBC (vídeo abaixo), Roger fala um pouco sobre o bar, Soparia, que ficou bastante conhecido na região metropolitana do Recife por ter sido ponto de encontro e de divulgação de festas (papel de grande importância em uma época em que não existia rede social na internet).  Lá as pessoas se encontravam para divulgar e comentar sobre as festas que aconteciam na cidade, também era um local para bandas e grupos artísticos de todos os estilos e tamanhos realizarem suas apresentações.

Como comunicador, Roger participou e participa de programas que tratam da cultura de Pernambuco e do Brasil. Em rede Nacional, no programa Som Na Rural, na TV Brasil, Roger convida o entrevistado a dar uma volta em uma Rural (carro da década de 40) e termina a entrevista em uma praça, parque ou rua onde o artista faz um pequeno show.  Na TV local, Roger inicia sua trajetória com o programa Sopa da Cidade (que chegou a transmitir ao vivo o  Abril pro Rock). Em 2002, estréia o Som da Sopa, na TV Universitária da UFPE, e em 2004, o Sopa Diário. Não podemos esquecer do Sopa de Auditório, transmitido ao vivo pela TV Universitária, gravado na Torre Malakoff. Em todos os seus programas Roger abre espaço para diretores e produtores do áudio visual, além de bandas independentes e representantes da cultura de Pernambuco.

No rádio, Roger começou com o programa Cidade de Andada (transmitido de algum ponto da cidade) onde ele interagia com uma banda convidada e com o público do local. Atualmente, Roger tem um programa na rádio Oi Fm, também chamado Sopa. Você pode ouvir aos programas na íntegra clicando aqui.

Além de continuar ativo no cenário cultural de Pernambuco, Roger de Renor é Gerente Geral da Tv Pernambuco, a TV pública do estado (que possui canal no Youtube, para assistir, clique aqui).

%d blogueiros gostam disto: